Publicado em Minha Prosa Poetica, Reflexão

Hora de Mudanças

Eu sempre fui um tanto arredia com mudanças.

Talvez por minha sempre e costumeira acomodação e apego total com a zona de conforto!

Pensando agora, isso se explica pelo fato de ter nascido de nove meses e quinze dias (risos!). Fiquei com pena da minha mãe, agora…

Voltando…

Mudar sempre requer esforço, dedicação e um deslocamento, uma ação. Exige que algo seja feito para que as coisas comecem a mover-se de forma diferente da costumeira. Isso é mudar.

Lembrando … um professor (Paulão!) da aula de Organização Industrial, curso técnico em segurança do trabalho. O ano: 1997! Viajei longe, hein?

O Paulão, disse em uma das aulas que ‘não se consegue obter um café diferente, usando-se a mesma receita todas as vezes que essa prática é realizada’ (Sic!). Parece simplicista o exemplo, mas digo que é muito oportuno!

Todas as vezes que passo um café, lembro-me dessa frase! De fato, para se conseguir uma mudança no produto final, é necessário mudar algo em seu processo fabril. Ihhh!

Sim, necessário investir um tempo. Pensar, calcular, projetar, desenvolver e aplicar, fazendo correções que se façam necessárias.

“Mas o que você quer dizer com isso’, vocês podem pensar nesse exato momento!

Quero dizer que reclamar da vida é fácil. Não requer muito esforço . Basta apenas abrir a boca e falar desordenadamente, ocupando-se apenas de buscar em quem colocar a culpa de nossas vidas malfadadas ou não tão bem administradas.

O chefe injusto.

O cônjuge insatisfeito, sem motivo, claro!

Os filhos que perturbam.

O governo corrupto.

A família que não apoia.

A saúde que não anda lá aquelas coisas.

Os professores exigentes com prazos.

O relógio que não anda.

A poluição do ar.

A genética.

O clima.

O colega chato.

O pagamento atrasado.

A pobreza.

A riqueza.

O sim.

O não!

Tudo é um motivo para reclamar e esconjurar. Tudo aquilo que me tira da ‘zona de conforto’ é maravilhosamente orquestrado por mim mesma a fim de deixar-me exatamente onde estou e não queria estar!

Parece um paradoxo, para você?

A mim parece um tipo de sabotagem! Dessas orquestradas pelos melhores maestros e estrategistas de guerra! Para que querendo sair, não saiamos. Querendo mudar, não mudemos. Querendo transformar, murchemos!

E a causa parece externa, mas está onde sempre esteve e onde podemos alcançar, mas não com a mesma facilidade com que podemos reconhecê-la.

Era um texto de 20 linhas… Okay!? Okay.

Pare e pense quem é que tem regido sua vida? Quem é que tem sido o cérebro pensante desse microcosmo chamado (leia com o seu nome aqui) eu! Por que você faz o que você faz? O que motiva você? O que desperta seu desejo de permanecer e o que desperta seu desejo de prosseguir?

Se esperou por respostas… Sinto desapontar. Ainda procuro as minhas! E arrisco a dizer que as procurarei para todo o sempre, pois creio que sou movida pelas dúvidas e não pelas respostas 🙂

Boa semana.

 

 

Anúncios