Publicado em Minha Prosa Poética

[Minha Prosa Poética]CEM ANOS DO CINE POLITHEAMA por Andrade Jorge

Abrindo a cortina do passado,
cenário de encanto e sedução,
em festa dando um banho de cultura,
sorrisos e aplausos na Barão.

Num lindo tema genial,
Renasce em nosso polo cultural
o sonho do artista em fantasia
na doce ilusão do carnaval.

Rebola vedete no teatro de revista,
brilha a ribalta, Hollywood no telão,
o samba relembrando a Grécia antiga,
sublime fonte de inspiração.

Batalha de confete e serpentina,
lança perfume, água de cheiro no ar,
verde que te quero verde,
sou verde rosa e o show vai começar.

Baila …Baiana, gira o rendado
com seu gingado, neste embalo, eu também vou … eu vou,
na magia dos cem anos
Pollytheama hoje é vira …virou.

Letra de um samba de enredo de autoria do poeta Andrade Jorge, no carnaval de 1998, em homenagem ao cine Teatro Pollytheama da cidade de Jundiaí, que naquele ano completava 100 anos de existência. O Pollytheama é uma referência de cultura na cidade de Jundiaí/sp

foto google – frente do cine teatro Polytheama em Jundiaí/SP

Anúncios

Autor:

Poetisa da vida, Leitora por vontade, Ferroviária por destino, Rabiscadora de Cadernos, Apaixonada por Livros, pelos amigos, pela vida e filosóficamente dramática :) - Jundiaí - SP - Brasil ! #APOIOAUTORESNACIONAIS

Um comentário em “[Minha Prosa Poética]CEM ANOS DO CINE POLITHEAMA por Andrade Jorge

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s