Publicado em Divulgação, Evento Cultural, Evento Literário, Mural, Notícias

FLIPOÇOS 2017 – MINHAS IMPRESSÕES

Conheci o Evento FLIPOÇOS em POÇOS DE CALDAS ano passado (2016) , quase por acaso. Fiquei fascinada com a simplicidade, a cultura e multidiversidade presente nesse ambiente literário e cultural.

Mais do que negociar literatura, um lugar , um evento para se trocar informações, conhecer novos artistas, novos escritores,  descobrir novidades editoriais e culturais! Basta um simples olhar desejoso de aprender e encontrar, está feita a sucessão de descobertas e deslumbramentos!

Pode parecer exagero meu, mas faço-vos um desafio :  13ª edição da Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas e Flipoços 2018. O tema será “A literatura e os outros saberes” e acontecerá entre os dias 28 de abril e 06 de maio, programem-se e vão lá conhecer 🙂 e depois voltem para contar 🙂


18157878_818191481689763_7033615244014609243_n

“Ao longo dos últimos 9 dias – de 29 de abril a 07 de maio – cerca de 70 mil pessoas passaram pelo Festival Literário de Poços de Caldas, o Flipoços, que nesta 12ª edição teve como patrono o romancista Milton Hatoum e em um feito inédito na história dos festivais literários brasileiros, trouxe uma comitiva com sete autores moçambicanos, entre eles, Paulina Chiziane, a primeira mulher a publicar um romance em seu país.

Para Ungulani Ba Ka Khosa, romancista moçambicano, “o Flipoços deu luz à Moçambique e à literatura feita no país”, disse o autor, que é tido como o ‘líder’ da comitiva que passou uma semana no Brasil.

Ao lado dele estiveram também no Brasil o jovem Dany Wambire, que faz literatura infanto-juvenil e contação de histórias para crianças, o premiado Lucílio Manjate, o crítico literário Rui Laranjeira e os poetas Sangare Okapi e Mbate Pedro, além da já citada Paulina Chiziane, que no evento, emocionou a todos com seu discurso.”  Leia mais em  Blog Livre Opinião 

Confira toda a programação aqui >> Guia Cultural Flipoços 2017 (Versão Digital) – PDF


 

HOMENAGEADOS FLIPOÇOS 2017

 

Milton Hatoum homenageado e patrono da FLIPOÇOS 2017. Saiba mais acessando : AQUI 

 

Murilo Carvalho – Escritor Sulfuroso, homenageado. Saiba mais acessando AQUI 

 

ESTADO DO AMAZONAS

 

Amazonas

Amazonas é uma das 27 unidades federativas do Brasil, sendo a maior delas em território, constituindo-se na nona maior subdivisão mundial, sendo maior que as áreas da França, Espanha, Suécia e Grécia somadas.[8] Seria o décimo sexto maior país do mundo em área territorial, pouco superior à Mongólia. É maior que a Região Nordeste com seus nove estados, e equivale a 2,25 vezes a área do estado norte-americano do Texas. A área média de seus 62 municípios é de 25 335 km², superior à área do estado brasileiro de Sergipe. O maior de seus municípios em extensão territorial é Barcelos, com 122 476 km² e o menor é Iranduba, com 2 215 km². Pertencente à Região Norte do Brasil, é a segunda unidade federativa mais populosa desta macrorregião, com seus 3,9 milhões de habitantes em 2015, sendo superado apenas pelo Pará. No entanto, apenas dois de seus municípios possuem população acima de 100 mil habitantes: Manaus, a capital e sua maior cidade com dois milhões de habitantes em 2015, que concentra cerca de 60% da população do estado, e Parintins, com pouco mais de 111 mil habitantes. O estado é ainda, subdividido em 13 microrregiões e 4 mesorregiões. Seus limites são com o estado do Pará ao leste; Mato Grosso ao sudeste; Rondônia e Acre ao sul e sudoeste; Roraima ao norte; além da Venezuela, Colômbia e Peru ao norte, noroeste e oeste, respectivamente.

Em 1850, no dia 5 de setembro, foi criada a Província do Amazonas, desmembrada da Província do Grão-Pará. Os motivos que levaram à criação da Província do Amazonas foram muitos, em especial, a grandíssima área territorial administrada pelo Grão-Pará, com capital em Belém, e as tentativas fracassadas do Peru em ampliar suas fronteiras com o Brasil, com o apoio dos Estados Unidos. O estado possui um dos mais baixos índices de densidade demográfica no país, superior apenas ao do estado vizinho, Roraima. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a densidade demográfica equivale a 2,23 habitantes por quilômetro quadrado.[8] Detém 98% de sua cobertura florestal preservada e um dos maiores mananciais de água doce do planeta, proveniente da maior rede hidrográfica do mundo. A hidrografia do estado, entretanto, sofre grande influência de vários fatores como precipitação, vegetação e altitude. Em geral, os rios amazonenses são navegáveis e formam sua maior rede de transporte. Possui o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) (empatado com o Amapá) e o maior PIB per capita entre todos os estados do Norte do Brasil. A Região Metropolitana de Manaus, com uma população superior aos 2,2 milhões de habitantes e sendo a maior em área territorial do mundo, é sua única região metropolitana. O Pico da Neblina, ponto culminante do Brasil, também está localizado no território amazonense.

 

PAÍS HOMENAGEADO

 

Moçambique

Moçambique, conhecido oficialmente como República de Moçambique, é um país localizado no sudeste do Continente Africano, banhado pelo Oceano Índico a leste e que faz fronteira com a Tanzânia ao norte; Malawi e Zâmbia a noroeste; Zimbabwe a oeste e Suazilândia e África do Sul a sudoeste. A capital e a maior cidade do país é Maputo (chamada de Lourenço Marques durante o domínio português).

Entre o primeiro e o quinto século d.C., povos bantos migraram de regiões do norte e oeste para essa região. Portos comerciais suaílis e, mais tarde, árabes, existiram no litoral moçambicano até a chegada dos europeus. A área foi reconhecida por Vasco da Gama em 1498 e em 1505 foi anexada pelo Império Português. Depois de mais de quatro séculos de domínio português, Moçambique tornou-se independente em 1975, transformando-se na República Popular de Moçambique pouco tempo depois. Após apenas dois anos de independência, o país mergulhou em uma guerra civil intensa e prolongada que durou de 1977 a 1992. Em 1994, o país realizou as suas primeiras eleições multipartidárias e manteve-se como uma república presidencial relativamente estável desde então.

Moçambique é dotado de ricos e extensos recursos naturais. A economia do país é baseada principalmente na agricultura, mas o sector industrial, principalmente na fabricação de alimentos, bebidas, produtos químicos, alumínio e petróleo, está crescendo. O sector de turismo do país também está em crescimento. A África do Sul é o principal parceiro comercial de Moçambique e a principal fonte de investimento directo estrangeiro. Portugal, Brasil, Espanha e Bélgica também estão entre os mais importantes parceiros económicos do país. Desde 2001, a taxa média de crescimento económico anual do PIB moçambicano tem sido uma das mais altas do mundo. No entanto, as taxas de PIB per capita, índice de desenvolvimento humano (IDH), desigualdade de renda e expectativa de vida de Moçambique ainda estão entre as piores do planeta,[6] enquanto a Organização das Nações Unidas (ONU) considera Moçambique um dos países menos desenvolvidos do mundo.

A única língua oficial de Moçambique é o português, que é falado principalmente como segunda língua por cerca de metade da população. Entre as línguas nativas mais comuns estão o macua, o tsonga e o sena. A população de cerca de 24 milhões de pessoas é composta predominantemente por povos bantos. A religião mais popular em Moçambique é o cristianismo, mas há uma presença significativa de seguidores do islamismo. O país é membro da União Africana, da Commonwealth Britânica, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), da União Latina, da Organização da Conferência Islâmica, da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral e da Organização Internacional da Francofonia.

Informações

  • Capital: Maputo
  • Presidente: Filipe Nyusi
  • Vice-presidente: Carlos Agostinho do Rosário
  • Área total: 801 590 km²
  • População (estimativa de 2016): 28 751 000 habitantes
  • Website governamental: http://www.portaldogoverno.gov.mz/

 

 

Celebridades presentes :

Vladmir Netto
Luiz Ruffato
Flávio Prado

 

Pedro Grabriel
Thalita Rebouças
Miriam Leitão
Carina Rissi

 

Para ver o álbum completo e as legendas explicativas acesse FLIPOÇOS 2017 – MINHAS IMPRESSÕES 

Fonte : FLIPOÇOS 2017 e BLOG LIVRE OPINIÃO

As fotos da última parte aqui são de autoria desta que vos escreve com exceção das que estão no corpo do restante da postagem que têm sua origem nos sites consultados e mencionados acima.

Anúncios

Autor:

Poetisa da vida, Leitora por vontade, Ferroviária por destino, Rabiscadora de Cadernos, Apaixonada por Livros, pelos amigos, pela vida e filosóficamente dramática :) - Jundiaí - SP - Brasil ! #APOIOAUTORESNACIONAIS

5 comentários em “FLIPOÇOS 2017 – MINHAS IMPRESSÕES

  1. Oies Lua! Eu tive a oportunidade de ir à feira no dia 06 e uauu, eu amei! Sou de São Paulo e foi uma oportunidade incrível voltar a Poços de Caldas, mesmo porque tenho um projeto de leitura conjunta e conheci algumas meninas do projeto graças a Flipoços, loucura né? rs … Participei da palestra com a Carina Rissi (sempre maravilhosa) e com a Tati Bernardi e Jacques Fux… Acabei comprando o livro “E se” da Geovana, que menina simpática e carismática, vendeu seu livro por simpatia, rs Estou muito ansiosa e no próximo ano vou fazer de tudo para voltar! 🙂 Em breve farei um post no meu blog sobre o evento 😉 Bjos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá, querida! A FLIPOÇOS é um evento que integra! Talvez pelo porte ou pela afetuosidade dos queridos mineiros. Eu não pude ficar mais , mas certamente a experiência foi muito válida!!

      Poste aqui o link das suas impressões !!!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s