Publicado em Cinema, Mural

CINEARTE|| COMO ESTRELAS NA TERRA, toda criança é especial.

A resenha de hoje é sobre um filme que conheci há dois anos pelo Facebook e que chamou minha atenção em uma madrugada dessas.

COMO ESTRELAS NA TERRA, toda criança é especial , é um filme que foi lançado em 2007, tem duração de  (2h 55min), com direção de Aamir Khan , roteiro: Amole Gupteelenco: Aamir Khan, Darsheel Safary, Tisca Chopra ; Gênero Drama; Nacionalidade Índia . Música composta por: L. Shankar, Shankar–Ehsaan–Loy, Ehsaan Noorani, Loy Mendonsa ; 

E conta a história do jovem Ishaan que tem muita dificuldade para se concentrar nos estudos, e mal consegue escrever o alfabeto. Depois de diversas reclamações da escola, o pai, que acredita que Ishaan não faz as tarefas por falta de compromisso, decide levá-lo a um internato, o que leva o menino a entrar em depressão. Mas, um professor substituto de artes, Nikumbh, logo percebe o problema de Ishaan, e entra em ação com seu plano para devolver a ele a vontade de aprender e, sobretudo, viver.


Se você tem dislexia ou conhece alguém que tenha , esse filme pode te acrescentar muitas ideias incríveis, além de uma forma bem lúdica de explicar a doença.

Se você é educador, seja em qualquer nível ou esfera de atuação, este filme vai com certeza abrir seus horizontes, motivar seu trabalho e ao final , com certeza a esperança de que “Tudo vale a pena, se alma não é pequena”.

Ishaan é tratado pelos pais, professores e colegas como um garoto relapso, preguiçoso e que não estuda por simplesmente não querer estudar e essa é a visão da sociedade, passada pelos personagens do filme. Todavia, a forma como enredo foi desenvolvido permite ao telespectador vivenciar as dificuldades da dislexia sobre ele, seus conflitos internos e suas reações.

Alguns pontos me chamaram bastante a atenção e quero pontuá-los a seguir :

  1. Sobretudo na forma como nós, seres humanos rotulamos as pessoas sem tentar entendê-las (para quem esqueceu o nome é EMPATIA), sem entender o porquê das atitudes;
  2. Uma das coisas que sempre detestei enquanto criança, e até mesmo depois na fase adolescente, é a COMPARAÇÃO! Ishaan é comparado ao irmão, por diversas vezes, por este ser um excelente aluno ( ou seja, corresponde ao que a sociedade quer que ele seja: competitivo). Adultos, por favor, todo ser humano em qualquer fase da vida é único!! Pais, não comparem seus filhos entre si, muito menos aos filhos de parentes e amigos.
  3. Ishaan estava cercado de pessoas, família, professores, durante anos, mas a forma “engessada” de pensar e de proceder de tais pessoas, as impediu de enxergar durante anos seu olhar gritando desesperadamente por auxílio. O que foi feito por um professor substituto, da aula de artes, de um colégio interno para o qual o garoto fora transferido, em apenas um ou dois dias de contato;
  4. As regras e a disciplina, são importantes, SIM! Todavia, o amor e a compreensão, além da já mencionada , empatia, são regras exemplares na construção do caráter e da cidadania. As escolas em questão, estavam prepaprando competidores e não seres humanos livres. O que temos ensinado para nossos filhos hoje ?
  5. Ishaan era SÓ um garoto mal interpretado e que estava à beira de um abismo depressivo, a crise existencial, ainda na tenra idade. Bastou um olhar mais apurado para que seu professor (que conhecia bem a dislexia , pois também a enfrentara) notasse esse limiar existencial. Pais, educadores, por favor, ACORDEM! Jamais desistam de seus filhos, jamais desistam de seus alunos; procurem de todas as formas nortear seu aprendizado. Certamente os frutos colhidos serão ainda mais saborosos!
  6. Por fim, quero transcrever um diálogo do filme que me marcou muito:

O pai de Ishaan vai à escola conversar com o professor. Este inicia a conversa:

-Mas você veio…?

-Estou em uma viagem de negócios.

-Já viu Ishaan?

-Ainda não, mais tarde. Gostaria primeiro de conversar com você.

-Vamos lá…

-Minha esposa andoou navegando na internet…e ela leu tudo sobre dislexia. Gostaria que você soubesse. (diz o pai com orgulho)

-E por quê?

-Para que você não pense que não nos importamos.

-Importar-se. Isso é essencial. Tem poder de curar feridas. Um bálsamo para a dor. A criança se sente querida. Um abraço, um beijo de afeto aqui e ali. Filho, eu te amo. Se você tem medos, venha aqui. Se você cair, falhar, estarei ao seu lado.

Segurança. Carinho. Isso é importar-se, não é ?

É bom saber que vocês pensam que se importam.

(o pai se levanta consternado)

-Bem, devo ir.

-Por acaso sua esposa leu sobre as Ilhas Salomão na internet?

-Não sei…

-Nas Ilhas Salomão, quando os nativos querem parte das terras para agricultura, eles não cortam as árvores. Eles simplesmente se juntam ao redor delas e gritam xingamentos e dizem coisas ruins e em alguns dias a ávore seca e morre. Morre sozinha.”

Termino aqui fazendo votos de que assitam ao filme e reflitam. Se quiserem indicar-me algum filme para que eu comente aqui, será um prazer !

PlayList

(infelizmente não consegui todas as músicas :/ )

5. Eravinil Bhayandhen – L. Shankar
6. Why? Why Can’t You – Aamir Khan, L. Shankar, Vijay Prakash, …
7. Oh Little Sweet – Vijay Prakash, Ananya Wadkar
Anúncios

Autor:

Poetisa da vida, Leitora por vontade, Ferroviária por destino, Rabiscadora de Cadernos, Apaixonada por Livros, pelos amigos, pela vida e filosóficamente dramática :) - Jundiaí - SP - Brasil ! #APOIOAUTORESNACIONAIS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s