Publicado em Poesia

INTROSPECÇÃO – Parte 1


“O coração palpitou acelerado. Mas não àquela velocidade de um sentir caloroso e sim, um doloroso palpitar… Triste… Silente… Choroso… Poderia ouvir soluços, caso houvesse uma fração de vida… Sim , era palpitação. Palpitação fria, arroxeada, de uma surdez mórbida.

Os olhos não expressaram vida… Nem tampouco o coração. Latejava, creio eu.

Batidas dolorosas de quem perdia a sensibilidade para amar, de quem cicatrizava queloides reaberto tantas e tantas vezes. 

A mente um turbilhão de pensamentos, um ricochetear de pontadas  sobre tudo dor que lhe fora causada. 

E quanto o coração tentava segurar coeso seus cacos, a mente ansiava por respostas que solucionasse a seguinte questão:

“Onde foi que o elo infinito se quebrou?”

Lua 

Anúncios

Autor:

Poetisa da vida, Leitora por vontade, Ferroviária por destino, Rabiscadora de Cadernos, Apaixonada por Livros, pelos amigos, pela vida e filosóficamente dramática :) - Jundiaí - SP - Brasil ! #APOIOAUTORESNACIONAIS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s