Publicado em Ação Social, Divulgação, Mural, Poesia, Posts, Textos

[DIVULGAÇÃO] MÃES DA SÉ COM CARINHO II – COLETÂNEA

Olá, leitores do Caderno da Lua !!

13260165_1007844555918267_2742463729053828298_n

Essa postagem é para contar um pouco como foi minha experiência no lançamento mais diferente que já participei 🙂 ; o Livro Mães da Sé  Com Carinho II, é uma coletânea de poesias escritas por  poetas brasileiros, de maneira filantrópica, em parceria com o Portal do Poeta Brasileiro e com a Editora Iluminatta.

A seguir algumas fotos e minhas impressões do evento!



Caladas…

Olhar triste…

Coração pesaroso…

Alma esperançosa!

Esta que vos escreve foi convidada pelo poeta e progenitor Andrade Jorge e por Aline Romariz , presidente do Portal do Poeta Brasileiro, para participar desse evento maravilhoso que foi o Lançamento do segundo livro de poesias intitulado Mães da Sé Com Carinho!

O evento deu-se nas escadarias da Catedral da Sé, em SP, e constituiu-se em uma reunião dos poetas e poetisas que escreveram seus poemas para doarem à Editora Iluminata que fez os livros, que foi vendido e teve parte da renda revertida para a ONG, amigos e as mães com seus cartazes em mãos e  organizadores da ONG Mães da Sé.

Alguns poetas leram ou declamaram suas poesias e cada um que esteve presente, tomou um cartaz nas mãos sentou-se ao lado delas para ficarem ali por uns instantes, como elas diuturnamente ficam reunidas. Após uma oração, mas algumas fotos e nos despedimos.

Fim…

Fim ? Não …

Mas, eu comecei a escrever esse texto não foi para contar o que foi o evento, e sim para passar as minhas impressões, aquilo que senti, o que farei agora mesmo!

No caminho da volta juntamente com a família, comentando sobre o evento, questionei meu POEPAI ( apelido que dei ao meu progenitor, por ser POEta e PAI! rsrs) sobre o porquê não utilizavam um sistema de sonorização, afim de que as poesias pudessem ser melhor ouvidas pelos presentes e por mais pessoas que presenciavam de longe, ao que ele respondeu (mais ou menos assim…) :” Não, esse trabalho delas é assim mesmo, mudo. Elas chegam com seus cartazes e se sentam”.

Diariamente  mães (e alguns pais) de crianças e jovens desaparecidos, munidos de um cartaz  com foto e descrições do desaparecimento de seus filhos, muito amor no coração e uma fé corajosa, reunem-se  como estandartes de luta para que alguém veja as fotos na esperança de que alguma notícia lhes chegue.

“E o que isso tem de especial, Lua, que mereça minha atenção para que eu continue lendo?” Você pode estar pensando…

Por que estou contando isso ?

Porque assim que ele terminou de falar e conversa de todos tomou outros rumos, eu continuei pensativa e dentro de mim um pensamento constrangeu-me:

-“Muitas dessas mulheres tem um potesto, uma causa muda, uma angústia reticente, um pesar na alma, um silêncio inquietante e  um grito preso na garganta abafado pelo som  de uma metrópole barulhenta! Assim como eu tive dificuldade para ouvir alguns poemas lidos, muitos que passam ali têm dificuldade de ouvir esse grito ecoando todos os dias , o qual manifestam sem palavras audíveis, mas com toda a força de uma alma dilacerada pela perda que dura cinco, dez, vinte, trinta anos!!”

Sim! A maioria de nós, não consegue ouvir esse grito calado, ou sentir essa dor dilacerante, mostrada no ato de empunhar um cartaz, em meio à muitas pessoas  passando, e eu fotografando aqui e ali, quase não percebi.

E para quem tem um pouco de amor pelo próximo, um pouco de empatia ou solidariedade para com a dor e as mazelas alheias, é quase impossível, mesmo que por poucos segundos, não sentir ou enxergar suas almas gritando a dor e a esperança.

Talvez outros abandonassem a lida ou o fizessem por pouco tempo, mas elas estão lá, como um letreiro luminoso, um holofote em um outdoor, sendo um ponto de luz na escuridão da vida, como um luminar no céu, servindo de norte àqueles  seus filhos e filhas que se encontram perdidos, voltem e encontrem o porto seguro de onde saíram ou foram arrancados.

Você  pode conhcer um pouco disso que eu relatei, exercendo compaixão, querendo abrir os olhos da alma. Que a lição venha, pelo amor e não pela dor  e pela infelicidade.

Exercite sua compaixão, sua cidadania, seu respeito à vida, sua humanidade.

Ajude como puder, seja se informando, financiando, compartilhando essa entre outras postagens, comparecendo, oferendo seu ombro amigo, seus ouvidos e suas palavras acolhedoras.

Encerro deixando uma frase de Fernando Pessoa:

” Tudo vale à pena, se alma não é pequena”


Saiba mais acessando :

Mães da Sé no Facebook

Portal do Poeta Brasileiro 

Editora Iluminatta 


Abraços da Lua 🙂

 

Anúncios

Autor:

Poetisa da vida, Leitora por vontade, Ferroviária por destino, Rabiscadora de Cadernos, Apaixonada por Livros, pelos amigos, pela vida e filosóficamente dramática :) - Jundiaí - SP - Brasil ! #APOIOAUTORESNACIONAIS

2 comentários em “[DIVULGAÇÃO] MÃES DA SÉ COM CARINHO II – COLETÂNEA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s